É muito comum, por má vontade ou falta de conhecimento, as pessoas fazerem referência a dieta low carb com “dieta da proteína”.

Volta e meia alguém se refere a mim como “olha, essa é a minha amiga que te falei, que perdeu 30 quilos com a dieta da proteína”, ou alguém me encaminha alguma reportagem sobre “os perigos do consumo excessivo de proteína”.

Eu já tenho uma resposta na ponta da língua, explico bem polidamente que a minha dieta é pobre em carbos e rica em gordura natural dos alimentos e não em proteína. Aproveito e cito exemplos de gordura saudável, já que a palavra “gordura” também assusta a maioria das pessoas.

Não, não perdi 30 quilos vivendo só de carne!

Não, não perdi 30 quilos vivendo só de carne!

Para ajudar a desmistificar essa que aparentemente é uma confusão comum, achei pertinente escrever um post com exemplos de cardápios da minha alimentação antes e depois da dieta, para explicar bem no detalhe como as coisas realmente funcionam.

E também porque eu meio que morro um pouco por dentro quando chamam a minha dietinha amada de “dieta da proteína” 🙂

Como eu me sinto quando chamam low carb de dieta da proteína

Como eu me sinto quando chamam low carb de dieta da proteína

Com a ajuda do Fat Secret, simulei dois dias de alimentação, uma típica de antes da dieta (dois anos atrás) e outra típica de hoje em dia.

Dieta de dois anos atrás

Café da manhã
1 fatia de pão integral com 1 colher de sopa de requeijão e 1 fatia de peito de peru
1 copo de leite semidesnatado com 1 e ½ colher de achocolatado Toddy

Lanche 
1 maçã Fuji

Almoço
2-3 colheres de sopa de arroz branco
½ concha de feijão
1 ramo de brócolis
2 fatias de tomate
1 xícara de alface
1 colher de sopa de azeite de oliva
1 bife grande de carne – 200 gramas, frito em 1 colher de sopa de óleo de soja

Lanche
5 biscoitos cream cracker

Jantar
Sanduíche com duas fatias de pão integral, 1 fatia grossa de queijo branco, duas fatias de peito de peru, requeijão, cenoura ralada, tomate e alface.

Dieta hoje em dia

Café da manhã
2 ovos grandes fritos em uma colher de sopa de azeite de oliva, com uma fatia de queijo minas padrão derretido
Café batido com 1 colher de sopa de nata e adoçado com sucralose

Almoço
1 bife grande de carne – 200 gramas, frito em 1 colher de sopa de manteiga
2 ramos de brócolis e 1 de couve flor
3 fatias de tomate
1 xícara de alface
1 colher de sopa de queijo parmesão ralado
1 colher de sopa de azeite de oliva

Jantar
2 sobrecoxas de frango médias assadas no forno untadas com 1 colher de sopa de manteiga
1 porção de cole slaw (salada com 1 xícara de repolho fatiado fino, 1 colher de sopa de maionese, 1 colher de sopa de azeite e 1 colher de sopa de nata)

Lanche
Nada. Devido a dieta rica em gorduras que dão muita saciedade, não há necessidade de lanches entre as refeições principais.

Resumo da dieta ANTES de iniciar low carb

Captura de Tela 2014-03-10 às 12.52.27

Captura de Tela 2014-03-10 às 12.52.53

 

 

 

 

 

 

 

 

Resumo da dieta DEPOIS de começar low carb

Captura de Tela 2014-03-10 às 16.42.01

Captura de Tela 2014-03-10 às 16.42.16

 

 

 

 

 

 

Conclusões

– Mesmo que o cenário atual tenha mais calorias (1891 no cardápio dos dias de hoje contra 1704 no de antigamente), o cardápio atual me faz perder peso e o antigo me fazia ganhar peso lentamente. Nesse caso é furada a teoria de quem diz que dietas low carb só funcionam porque a restrição dos carboidratos acarreta redução calórica, resultando na perda de peso.

– Embora 1 grama de gordura tenha 9 calorias e 1 grama de carboidrato tenha 4, a gordura não causa nenhum impacto no nível de açúcar no sangue, ou seja, não provoca picos de insulina, dando uma sensação de saciedade ao longo do dia todo. No cardápio de antigamente, lembro que eu ficava contando os minutos pra hora do “lanchinho”. Nos dias de hoje, tem vezes que só consigo almoçar perto de 15 horas e chego no almoço completamente sem fome! Sem contar que os lanchinhos viraram coisa do passado.

– A ingestão de proteína é praticamente a mesma! Notem que no passado o meu jantar típico era um sandubão integral. Mesmo que o de hoje seja duas sobrecoxas médias assadas (momento salivação), ainda sim mantenho a mesma ingestão de proteína. É importante comentar que alimentos que eu deixei de comer, como o pão, o arroz, o feijão e o leite também tem proteína na composição.

– Os carboidratos caíram de 32% do total das calorias ingeridas para 3%. Gorduras subiram de 43% para 73%, sendo que evito ao máximo ingestão de gorduras ruins como óleo de soja, canola e milho, e invisto em gorduras boas, como azeite de oliva, manteiga, abacate, nozes e a gordura natural da carne. Proteínas continuam representando a mesma coisa (em torno de 25%).

– Mesmo que o vivente seja um gaudério louco por carne, sairá perdendo se aumentar demais a ingestão de carne na dieta. Isso porque proteína em excesso é convertida em glicose no sangue. Esse é um erro comum para quem está iniciando a dieta, e pode ser o motivo pelo qual você não está perdendo tanto peso quanto gostaria.

– Proteína ajuda a construir músculos. Se você treina com alta intensidade e com regularidade (meu caso), poderá se beneficiar de um aumento no consumo de proteína. Eu mantenho a mesma ingestão de antes porque não dou conta de mastigar mais carne do que já como, e para mim shakes e barras de proteína estão totalmente fora de questão.

Uma dieta lchf (low carb, high fat) como é a dieta Atkins, ou como pode ser uma dieta Paleo/Primal para quem deseja perder peso não significa que você vai se encher de carne, e sim que vai eliminar comidas industrializadas e muito processadas, e se alimentará basicamente de comida de verdade!

 

 

 

Tweet about this on TwitterShare on FacebookEmail this to someoneCompartilhe!

CAFÉ DA MANHÃ: Receba GRÁTIS um ebook com opções Low Carb que emagrecem!

Você também vai receber dicas e novidades sobre o estilo de Vida Low Carb

Verifique o seu email!

Pin It on Pinterest

Share This