Eu adoro refletir sobre os rumos que a alimentação saudável vem tomando e quero ver o que você acha de algo que eu reparei.

Você já deve ter buscado dicas para perder peso com um profissional de saúde ou em livros e sites especializados…

Se sim, já deve ter reparado que grande parte das conversas foca nos métodos, nas listas, nos cardápios prontos…

Nos detalhes científicos e nas divergências entre os estudos…

Nos achados sobre a eficiência de low carb para controle de doenças…

Em ingredientes complicados, mil tipos de farinhas, suplementos…

Todos esses assuntos são válidos, claro!

Mas o foco exagerado neles acaba criando uma atmosfera de complexidade e uma cultura de medicalização da alimentação…

A uma crença de que se não tiver o método, se não tiver o cardápio pronto, se não tiver o acompanhamento de uma pessoa com um jaleco branco te dizendo exatamente o que pode e o que não pode comer, não tem como fazer funcionar.

Veja, não estou desdenhando das vantagens de ter acompanhamento… O problema é que as soluções que nos apresentam não nos ajudam a criar autonomia e a escolher sem depender de ter sempre alguém nos dizendo o que fazer.

E será que o problema é falta de informação e orientação?

Um exercício que ajuda a responder isso é dar uma pesquisada na busca de imagens do Google por turmas de escolas e outros grupos em fotos da década de 50, 60, 70…

É raro encontrar pessoas gordas nos grupos!

E nessa época praticamente não havia nutricionistas e outros profissionais dedicados ao emagrecimento e um número bem menor de pessoas praticava esportes regularmente.

Mas dos anos 80 pra cá a situação se inverteu: aumenta o número de academias, mais profissionais de saúde disponíveis, aumenta (muito!) a oferta de alimentos ditos “saudáveis”…

E, mesmo assim, os números de obesidade seguem aumentando!

É como diz Michael Pollan em seu livro Em Defesa da Comida: Quanto mais a gente se preocupa com nutrição, menos saudável parece que a gente fica.

A confusão na cabeça das pessoas é lucrativa pra diversos setores!

Especialmente o dos alimentos processados, que se aproveita da preocupação das pessoas com a saúde pra estampar em seus rótulos palavras chamativas como “detox”, “light” e “gluten free” pra promover produtos que estão longe de serem saudáveis e nos afastam cada vez mais da comida de verdade.

Mas o que as pessoas que têm interesse em nos manter sempre cheios de dúvidas e dependentes de soluções externas NUNCA vão nos falar é que não existe método, não existe cardápio perfeito ou ingredientes milagrosos.

REALIDADE DURA DE ENGOLIR #1: O QUE EXISTE É A SUA POUCA TOLERÂNCIA AO CONSUMO EXAGERADO DE CARBOIDRATOS.

Se você tem bastante peso pra perder, são enormes as chances de você ter essa característica: seu corpo responde ao excesso de carbos engordando.

Também sou sócia desse clube das pessoas que parecem que engordam só de chegar perto da coisa. Complicado!

O legal é que experimentar low carb mesmo que por 15 ou 20 dias faz muita gente acordar pra essa realidade de que não era a gordura que te impedia de emagrecer e sim os carboidratos…

Até aquele pão 200 grãos caríssimo que você comprava achando que tava arrasando!

Chega a dar raiva de tanto tempo perdido regulando azeite, queijo ralado, creme de leite… Vai dizer?

Coisa boa que tudo isso é bem vindo na dieta low carb! E isso de poder comer quanta carne e ovos quiser pra manter a saciedade? É demais! Adeus, fome na dieta!

Então você está super feliz, com a faca e o queijo na mão: achou uma dieta saudável que não te faz passar fome.

Mas será que a partir daí o sucesso é garantido?

REALIDADE DURA DE ENGOLIR #2: NÃO É. NA VERDADE ESSE GANHO DE CONSCIÊNCIA É ALGO QUE ACONTECE RAPIDINHO.

E é assim que acontece com uma galera: começa, no início estranha comer as comidas que evitava antes, passa a gostar e achar super saciante, começa a ver o emagrecimento acontecer e até chegam a bons resultados.

Mas mesmo sabendo de cor e salteado o que fazer…

Mesmo tendo entendido perfeitamente que a comida de verdade sem todo o exagero de carboidratos é uma estratégia super eficiente pra controlar o peso e manter a saúde ao longo dos anos…

Mesmo assim, essa galera acaba largando a alimentação saudável e engordando novamente.

Isso acontece porque essas pessoas focam em detalhes e fecham os olhos para o mais importante que são coisas que você precisa se perguntar desde o começo do seu projeto de emagrecimento:

Como faço pra que esses resultados venham pra ficar?

O que faço pra não engordar tudo de novo?

Já entendi que priorizar comida de verdade e diminuir carbos emagrece mesmo, já entendi que é saudável…

Mas como eu, com a minha vida corrida de trabalho, de casa, de quem tem filhos, tenta ter uma vidinha social e ainda evoluir como pessoa…

Como consigo achar tempo pra me planejar, cuidar de mim? Sem jogar tudo pro alto mais uma vez?

REALIDADE DURA DE ENGOLIR #3: A SOLUÇÃO É COMPLEXA, NÃO É DEFINITIVA E ENVOLVE UM MONTÃO DE COISAS.

E que coisas são essas, como encontrar a solução?

A solução envolve se reconectar com a comida de verdade e realmente valorizar o que ela oferece, além do emagrecimento.

A solução envolve se organizar pra ter coisas pra comer e dedicar algum tempo, que não precisa ser muito, pra se planejar, comprar o que precisa e ter sempre alguma comidinha low carb na manga.

A solução envolve buscar fazer as pazes e aceitar o nosso corpo, por mais longe que ele esteja do peso considerado “ideal”. Isso é difícil de fazer, mas ajuda de verdade a manter a saúde em dia.

A solução envolve trabalhar nas nossas tretas emocionais, por mais duro que isso seja, já que em grande parte dos casos elas são a raiz da relação ruim com a comida e a balança. O custo pra nossa saúde que podem ter as palavras que deixamos de dizer, os sapos que engolimos!

Entre outras coisas, que pra você podem ser umas e pra mim, outras!

Nos anos à frente do site e vivendo a vida low carb eu percebi que as pessoas que emagrecem e conseguem aderir a um estilo de vida saudável sem tanto vai e volta NÃO SÃO as que têm acompanhamento do profissional mais top ou leram a maior quantidade de livros sobre o assunto…

Quem consegue fazer dar certo NÃO SÃO aquelas pessoas que pagam de perfeitinhas e se transformam nas chatas da dieta…

Em geral quem FAZ ACONTECER MESMO são aquelas pessoas que conseguem se alimentar dentro do planejado pelo menos a maior parte do tempo na loucura e correria que é a vida!

Lidando com os imprevistos, com as emoções, o cansaço, o stress, tropeçando e caindo sim, mas voltando a levantar e seguir… Sem neura, sem crise, sem proibição!

O jeito de fazer dar certo é se perceber uma pessoa NORMAL e IMPERFEITA, mas que faz o que pode com os recursos que tem à mão.

Porque atingir a perfeição é pra poucas pessoas – se é que elas existem. E essa busca pela perfeição pode cobrar o seu pedágio na saúde mental de uma pessoa.

Por isso acho importante falar dessas duras realidades: porque isso ajuda a gente a SE PERDOAR quando necessário, aprender com os erros e seguir sem mimimi.

Talvez eu tenha finalizado esse texto de um jeito meio pessimista, né?

Mas é que eu prefiro sempre tocar a real, falar o lado de quem sempre teve problemas com o peso, pra realmente ajudar quem quer emagrecer, além de só falar de cardápio e receitas.

Nos próximos dias vou falando um pouco mais sobre isso… Fique à vontade para responder compartilhando as suas impressões sobre essas duras realidades!