Escolha uma Página

Em muitas áreas da vida esperamos perfeição: saúde de ferro, carreira sempre em ascensão, relacionamento harmonioso… Mas a realidade é que estamos sempre sujeitos a erros e problemas, e aceitar a imperfeição como parte da vida é uma das habilidades mais importantes para quem deseja evoluir como ser humano.

Na alimentação isso é especialmente importante: um dos maiores erros que alguém que quer comer mais saudável pode cometer é esperar que saia tudo perfeito.

Cada vez mais estamos cercados de celulares, computadores, aplicativos, serviços de conveniência que funcionam dia e noite sem parar… E acabamos internalizando essa expectativa de funcionar 100%, como se fôssemos máquinas… E não é bem assim!

“O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito”

Fernando Pessoa

O que é Kintsugi?

O Kintsugi é uma técnica ancestral que surgiu no Japão para restaurar objetos de cerâmica que se quebram, como panelas, copos e pratos. 

Em vez de descartar os cacos, eles desenvolveram essa técnica delicada e cuidadosa de reparo com laca e ouro, o Kintsugi, que quer dizer algo como “unido com ouro” e essa técnica reforça com analogias conceitos importantes do zen budismo.

No artigo de hoje trago reflexões baseadas nessa técnica que acabou se transformando em filosofia de vida, com algumas dicas para aplicar essas reflexões na prática da sua vida.

1) O seu Valor está em Você e não no seu Corpo

A gigantesca maioria da comunicação que fala sobre comer saudável usa fotos de pessoas impecáveis que muito provavelmente nunca foram gordas, barrigas tanquinho, corpos esculturais, peles perfeitas.

Sem contar toda a propaganda na parte da estética: corta ali, aspira aqui, modela isso, estica daqui e de lá, aplica filtro pra rejuvenescer… A pressão para alcançarmos uma pretensa “perfeição” estética é enorme! Isso mesmo que de forma inconsciente vai minando a nossa autoestima aos poucos.

A ilusão que mora aí é que a perfeição estética é inatingível e quando existe, não é eterna. Quando você emagrece, sua qualidade de vida melhora, mas a realidade é que os seus problemas podem não ser mais os mesmos, mas eles não desaparecem.

Se você for embarcar na neura estética, depois do peso em excesso vem a ruguinha, o cabelo branco, a flacidez… Coisas normais em corpos humanos!

Assim como os japoneses viam o vaso de cerâmica não pelo seu aspecto estético mas pelo valor sua função, o seu valor também não está na estética.

O nosso corpo está sempre mudando: nascemos num corpinho de bebê, tivemos nosso corpo de adolescente, as mulheres que engravidam ficam com o corpo muito diferente, quando ficamos velhinhos também tudo muda…

Em todos esses diferentes formatos de corpo, VOCÊ estava lá. Percebe como você não é o seu corpo?

Aprender a neutralizar a pressão estética é trabalho para a vida inteira, mas ter uma boa autoestima independente do formato do seu corpo é possível e necessário. Não adie a sua felicidade esperando estar no peso “ideal”. A hora é agora!

2) Aceitação e Aprendizado com os Erros

Muitas pessoas me procuram falando que tentam fazer low carb mas não dá certo porque elas não conseguem ficar muito mais do que alguns dias sem comer nada fora.

Eu sempre respondo dizendo que não lembro se já fiquei mais do que uma semana, dez dias comendo low carb direto. E tô aqui firmeza, vários anos depois.

O que dita o seu resultado não é o número de dias consecutivos que você consegue fazer 100% low carb sem falhar, e sim a sua capacidade de voltar pro esquema já na próxima de refeição, sem jogar tudo pro alto a cada erro.

Os erros não são nada importantes quando comparados com a maneira como você reage ao erro. A partir de agora, quando comer algo que não era o que planejou, comece com a cultivar o hábito de investigar o seu erro com uma curiosidade feliz de pesquisador.

Mais do que obter respostas, é importante se fazer perguntas: foi apenas uma saída do plano ou um descontrole com compulsão? Consigo identificar alguma emoção ou outra coisa que possa ter engatilhado o episódio? Qual o aprendizado que posso tirar do que ocorreu? E pronto, bola pra frente! A próxima refeição sempre nos traz uma oportunidade de acertar.

3) Não Abandone sua Autenticidade para Esconder suas Imperfeições

Um detalhe interessante da técnica Kintsugi é que os reparos feitos não são escondidos, pelo contrário: o ouro faz o reparo brilhar em total destaque.

Trazendo uma analogia para a vida, muitas vezes guardamos nossas falhas dentro de nós, nos maltratando e nos julgando. Dar destaque à nossa imperfeição com brilho nos lembra que as mudanças ao longo do tempo são normais e que a imperfeição tem valor. 

A maneira como a porcelana se quebrou, a marca que o conserto deixa, também faz com que a porcelana se diferencie das outras, ganhando beleza, exclusividade e autenticidade.

Quando lidamos com as nossas sombras, erros e falhas de peito aberto não só encarando-as de frente mas também usando como combustível para mudança, isso alimenta em nós uma chama interna que aos poucos faz as sombras irem perdendo força.

Na TV e nas redes sociais muitas vezes vemos a versão editada, onde os erros são cortados para esconder o que dá errado. Mas não se engane, todos nós estamos juntos no barco da imperfeição.

4) Não Espere a Perfeição da Comida de verdade

Assim como esperamos perfeição no corpo, também esperamos na comida de verdade. Esperamos tamanhos padronizados, frutas cada vez mais doces e sem nenhum machucadinho.

O impacto da nossa baixa tolerância com a imperfeição dos alimentos no desperdício de alimentos é grande. Na hora das compras, acabamos levando os mais impecáveis e deixamos outros em ótimo estado, mas com alguma coisinha fora do padrão. 

Algumas pessoas também não compram alimentos orgânicos em razão do tamanho às vezes menor do que o equivalente não orgânico, mas é importante lembrar que a perfeição estética na comida de verdade muitas vezes só é possível por conta de pesticidas e defensivos agrícolas usados na produção em massa, que no longo prazo são um risco à nossa saúde e da terra.

Nos alimentos de pacotinho, com conservantes e aditivos, não é difícil chegar à perfeição. Optando por priorizar a comida de verdade precisamos abrir mão de algum conforto e conveniência, evitando desperdício, respeitando as épocas dos alimentos e quando possível, comprando diretamente de quem produz.

5) Low Carb da Vida Real x Low Carb Gourmetizado

É ótimo que no estilo de vida low carb podemos contar com ingredientes deliciosos como as farinhas de amêndoas, castanhas, chocolate 70%, adoçantes, carnes de todos os tipos… Mas a realidade é que esses alimentos não são acessíveis para todas as pessoas e isso nem de longe deve ser um problema!

Durante o meu emagrecimento eu trabalhava em uma empresa onde almoçava no refeitório e muitas vezes o cardápio era bem longe do que seria o ideal, com o molho das carnes engrossado com amido, nuggets enfarinhados no lugar da carne, só duas opções de saladas sem graça… E mesmo assim fiz funcionar.

Nas redes sociais, vemos pessoas promovendo produtos recebidos caros que precisam ser comprados pela internet, postando pratos impecáveis em restaurantes caros e cozinhas lindamente decoradas.

Perceba como você se sente ao ver as postagens das pessoas que acompanha: mais motivada ou ansiosa por não viver a mesma coisa? Sempre proteja sua saúde emocional seguindo conteúdo que te inspira a ser uma pessoa melhor do que ontem, não perfeita.

No fim das contas, o low carb que mais dá resultado é o basicão, da feira livre e do açougue, acessível para bem mais pessoas.

Conclusão

Nesses anos todos conversando com pessoas que querem emagrecer e também estudando sobre os assuntos comportamentais que se relacionam com a forma como comemos, percebo que não reagir bem à imperfeição muitas vezes é uma forma de autossabotagem

Isso porque no fundo a gente sabe que ninguém é perfeito e que mesmo com a imperfeição, muita gente faz as coisas acontecerem quando querem, insistem e persistem. 

Mas quando a pessoa não consegue desenvolver a disciplina e consistência que precisa para um processo puxado como o emagrecimento, pra justificar para si mesmo ela acaba criando esse diálogo interno de esperar que tudo seja perfeito. 

Daí quando o erro acontece a pessoa não pensa duas vezes antes de (mais uma vez) jogar tudo pro alto e adotar para si e para os outros uma postura de vítima (ninguém me ajuda, eu nasci pra ser assim mesmo etc).

Se você sente que pode ter essa tendência, use a Técnica da Melhor Amiga na próxima vez que errar. Pense: o que a sua melhor amiga diria para você quando você contasse para ela de um erro que cometeu? Muito provavelmente te diria palavras encorajadoras, te lembraria dos seus pontos fortes e te falaria para sacudir a poeira e dar a volta por cima.

A melhor amiga traz uma compaixão que não temos com nós mesmos. Dentro das nossas cabeças, muitas vezes nos atacamos de forma cruel e implacável.

Somos perfeitos na nossa imperfeição e incorporar essas sombras nos torna pessoas mais autênticas e plenas, por mais que isso pareça controverso. Tenha sempre o compromisso de juntar seus caquinhos com luz! 

E você, como reage aos seus erros? Sente que já está avançando nessa área ou ainda tem muito para evoluir? Abra seu coração nos comentários!